02/11/2013

Resenha - Legend - Marie Lu

2 comentários
Ambientado na cidade de Los Angeles em 2130 D.C., na atual República da América, conta a história de um rapaz – o criminoso mais procurado do país – e de uma jovem – a pupila mais promissora da República –, cujos caminhos se cruzam quando o irmão desta é assassinado e a ela cabe a tarefa de capturar o responsável pelo crime. No entanto, a verdade que os dois desvendarão se tornará uma lenda. O que outrora foi o oeste dos Estados Unidos é agora o lar da República, uma nação eternamente em guerra com seus vizinhos. Nascida em uma família de elite em um dos mais ricos setores da República, June é uma garota prodígio de 15 anos que está sendo preparada para o sucesso nos mais altos círculos militares da República. Nascido nas favelas, Day, de 15 anos, é o criminoso mais procurado do país; porém, suas motivações parecem não ser tão mal-intencionadas assim. De mundos diferentes, June e Day não têm motivos para se cruzarem – até o dia em que o irmão de June, Metias, é assassinado e Day se torna o principal suspeito. Preso num grande jogo de gato e rato, Day luta pela sobrevivência da sua família, enquanto June procura vingar a morte de Metias. Mas, em uma chocante reviravolta, os dois descobrem a verdade sobre o que realmente os uniu e sobre até onde seu país irá para manter seus segredos.

Quem acompanha o blog, deve ter percebido o quanto gosto de distopias, e quando encontrei esse livro numa mega promoção, não resisti e comprei. Não poderia ter feito coisa melhor, porque ele foi bem além das minhas expectativas, apesar de ter uma narrativa, alternando entre pontos de vista (entre June e Day) que geralmente me irrita, mas que para essa história funcionou extremamente bem.

O que normalmente acontece nas distopias é que conhecemos logo o lado desfavorecido (e revoltado) da história. Em 'Legend' podemos acompanhar desde o início os dois opostos do sistema. June que é a menina rica, educada para ser "cria" do sistema e Day, que desde seu nascimento nas favelas da República, desafia esse sistema, sendo inteligente demais e esperto demais para alguém tão pobre.

Os capítulos são bem curtinhos, por isso, nada de rodeios, a autora vai direto ao ponto. mas, ao mesmo tempo notamos a preocupação com seus personagens e não tem como não gostar deles. Day é um moleque de rua, que sofreu horrores, e ainda assim não se fechou completamente pro mundo. Super cativante e não tem como não se emocionar com sua falta de sorte e a maneira como foi separado de sua família. June é uma 'bad ass' super treinada e muitas vezes fria. O jeito como ela clinicamente analisa a morte do irmão chega a assustar no início. E quando ela decide ir atrás do provável assassino de seu irmão, não tem dúvidas de que conseguirá prendê-lo, mesmo que vários outros oficiais tenham falhado.

Nesse cenário todo ainda nos deparamos com a 'praga' uma doença que deixa os infectados bem parecidos com zumbis! 

O livro tem amizade, romance e muita ação. Se você gosta de distopia precisa ler esse livro! 


26/10/2013

Resenha - Bela Maldade - Rebecca James

1 comentários
Katherine passou por uma situação bem difícil que a fez se fechar para o mundo. Ela foi morar com a tia em outra cidade, entrou numa nova escola (onde ninguém a reconhecesse) e até mudou seu sobrenome. Apesar de tudo isso, o passado ainda a assombra e enquanto ela acha que não merece mais ser feliz, Alice entra em sua vida. Alice é uma menina muito divertida e que não leva nada muito a sério. Mas, aos poucos, Katherine vai percebendo que sua nova melhor amiga pode não ser tão legal assim.

Alguns momentos nem conseguia soltar o livro até descobrir mais sobre o passado de Katherine e acompanhar as loucuras de Alice, que desde o primeiro momento me irritou, mas impressionantemente causa admiração de todos no decorrer da história.

O livro é de suspense e também o primeiro teen desse gênero que leio. A história toda é bem amarradinha e é ótimo título pra quem quer arriscar em outros gêneros sem sair do YA sem realmente sair, se é que vocês me entendem. O final é trágico, mas isso não é spoiller nem nada, lá no comecinho já temos uma boa ideia do final. O principal suspense mesmo é o que aconteceu com Katherine que a deixou tão traumatizada, não só à ela, mas sua família inteira. O livro vai e volta no tempo. E demorou um pouquinho pra eu começar a acompanhar as diferentes fases da vida de katherine. O presente, o passado que mostra a relação com Alice e o passado mais antigo que mostra o que aconteceu com as irmãs Boydell. 

Enquanto sua relação com Alice desmorona, Katherine encontra outras pessoas que fazem que sua vida se torne mais feliz. Mas, não se enganem, esse não é um livro de romance. Outro fator positivo foi o cenário. O livro se passa na Austrália e foi bom sair um pouco de solos americanos. 

Esse foi um dos livros que comprei na bienal por causa do preço bem em conta e não me arrependi!

19/10/2013

Resenha - Easy - Tammara Webber

3 comentários
Jackie, ou melhor, Jacqueline é uma universitária que não está passando pelo melhor momento de sua vida. Depois de terminar o ensino médio, decidiu ir para mesma a faculdade que seu namorado e então, sem mais nem menos (com uma desculpa muito da esfarrapada), Kennedy termina o namoro de três anos. Como se não bastasse, após sair de uma festa que nem queria ir, um dos “amigos” de seu namorado tenta estuprá-la. E é aí, que ela conhece um cara lindo, misterioso e com a maior pinta de bad boy. E de repente, todo o lugar que ela vai dá de cara com ele. Afinal, quem é ele de verdade? Quantos empregos têm?

A primeira coisa que tenho à dizer sobre esse livro é: ELE É MARAVILHOSO!

Muitas pessoas andam o comparando com “Belo Desastre”, que foi um livro que gostei bastante. Para mim, a única semelhança entre os dois é o namorado “bad boy”. E enquanto "Belo Desastre" é totalmente voltado para o relacionamento dos protagonistas, “Easy” tem uma abrangência muito maior. E no final, o que me fez gostar tanto do livro nem foi o romance em si.

Faz tempo que reclamo um pouco do machismo e sexismo presente nos chamado “new adult” e esse sai totalmente desse estigma e trata um assunto tão sério como estupro, como ele deve ser tratado. Em casos como esse, sempre tentam culpar a vítima de alguma forma. Quem nunca ouviu “Mas, olha a roupa que ela estava usando” ou “Olha a hora que ela tava na rua”. E uma mensagem que Tamara Webber deixa bem claro no livro é que a culpa NUNCA é da vítima! E eu, literalmente, quase chorei ao ver um livro que passa uma mensagem dessa estar sendo tão vendido e tão lido por meninas que devem mesmo assimilar bem essa parte da história! Ou seja, desperta a consciência de cada uma enquanto conta uma história linda.

Comentado esse assunto, quero falar sobre Lucas e Jacqueline. Adorei como a relação dos dois foi evoluindo no decorrer do livro por que contrapõe bastante com o outro namoro da Jacqueline. Com Kennedy era meio que uma coisa de criança, idealizado. Com Lucas, a relação é mais madura e honesta.

E finalmente entendi tanto frenesi ao redor de Lucas. Ele de bad boy só tem a aparência mesmo e com o passar do livro vamos aprofundando nosso conhecimento sobre ele e nos apaixonando mais e mais.


Não tem como não recomendar esse livro. Virou leitura obrigatória! Dá pra rir, chorar e se conectar com os sentimentos da personagem principal de uma maneira bem forte, porque ela realmente passa por coisas que qualquer menina pode passar a qualquer momento. É um livro engraçado, tenso, sexy e super envolvente.

28/09/2013

Cinco livros sobre... Bad Boys!

10 comentários
Quem nunca leu um livro de romance que atire a primeira pedra. Tem momentos em que tudo o que queremos de um livro é um bom romance, e como não se apaixonar pelos bad boys que fazem de tudo por suas amadas? Vamos conferir agora 5 livros para vocês que querem se apixonar por uma personagem perigosamente sexy!


     Três Metros Acima do Céu   
Federico Moccia

A paixão do mais improvável dos casais, Babi, uma patricinha de Roma, e Step, um motoqueiro bad boy, é a trama de "Três Metros Acima do Céu", um romance que conquistou a juventude italiana, a ponto de, durante anos, circular em cópias xerocadas entre os leitores. Para viver o primeiro amor com toda sua intensidade, os protagonistas tentam se modificar, enquanto enfrentam a oposição da família da menina, o estranhamento dos amigos, as dificuldades de acertar o próprio relacionamento e de amadurecer.

Por que indiquei? O livro não é nenhum lançamento, mas se encaixa perfeitamente nessa nova "moda" de bad boys apaixonados. Foi um super sucesso na Itália, seu país de origem e até hoje as meninas suspiram pelo Step. Vale à pena conhecer um dos pioneiros desse tipo! Eu AMO!

   Belo Desastre    
Jamie McGuire

A nova Abby Abernathy é uma boa garota. Ela não bebe nem fala palavrão, e tem a quantidade apropriada de cardigãs no guarda-roupa. Abby acredita que seu passado sombrio está bem distante, mas, quando se muda para uma nova cidade com America, sua melhor amiga, para cursar a faculdade, seu recomeço é rapidamente ameaçado pelo bad boy da universidade. Travis Maddox, com seu abdômen definido e seus braços tatuados, é exatamente o que Abby precisa – e deseja – evitar. Ele passa as noites ganhando dinheiro em um clube da luta e os dias seduzindo as garotas da faculdade. 

Por que indiquei? Não é nada difícil achar fãs de Travis Maddox por aí. o fato é que além de fazer o irresistível estilo bad boy, ele também é fofo. contraditório? Sim, mas esse é o Travis. Vocês podem conferir minha resenha, clicando aqui.

     Easy    
Tammara Webber

Quando Jacqueline segue o namorado de longa data para a faculdade que ele escolheu, a última coisa que ela espera é levar um fora no segundo ano. Ao sair de uma festa sozinha, Jacqueline é atacada por um colega de seu ex. Salva por um cara lindo e misterioso que parece estar no lugar certo na hora certa, ela só quer esquecer aquela noite — mas Lucas, o cara que a ajudou, agora parece estar em todos os lugares. A atração entre eles é intensa. No entanto, os segredos que Lucas esconde ameaçam separá-los. Mas eles vão ter de descobrir que somente juntos podem lutar contra a dor e a culpa, enfrentar a verdade — e encontrar o poder inesperado do amor.

Por que indiquei? Se você entrasse no estande da Record na Bienal do Rio 2013 e encontrasse uma pilha desse livro, podia se considerar uma pessoa sortuda. Assim que era resposto, a pilha acabava e na fila de pagamento era difícil não encontrar ele em vááárias mãos. Não li, mas estou com o meu aqui! 

  No Limite da Atração  
Katie McGarry

Ninguém sabe o que aconteceu na noite em que Echo Emerson, uma das garotas mais populares da escola, se transformou em uma “esquisita” cheia de cicatrizes nos braços e alvo preferencial de fofocas. Nem a própria Echo consegue se lembrar de toda a verdade sobre aquela noite terrível. Quando Noah Hutchins, o cara lindo e solitário de jaqueta de couro, entra na vida de Echo, com sua atitude durona e sua surpreendente capacidade de compreendê-la, o mundo dela se modifica de maneiras que ela nunca poderia ter imaginado. 
É impossível ignorar a atração entre eles. E Echo vai ter de se perguntar até onde é capaz de ir e o que está disposta a arriscar pelo único cara que pode ensiná-la a amar novamente. 

Por que indiquei? Esse livro tá na minha wishlist à um tempinho e estou enrolando para ler, apesar de já ter lido ótimas resenhas sobre!

   Química Perfeita   
Simone Elkeles

Os garotos do instituto Fairfiel, do subúrbio de Chicago, sabem que South Side e North Side não se misturam. Assim, quando a líder de torcida Brittany Ellis e o marginal Alex Fuentes são obrigados a trabalhar juntos como parceiros de laboratório na aula de química, os resultados prometem ser explosivos. Mas nenhum deles estava pronto para a reação química mais surpreendente de todas: O amor. 
Poderão romper os preconceitos e estereótipos que os separam?

Por que indiquei? Aquele tipo de história que a gente ama odiar não é mesmo??? 

Já leram algum dos títulos acima? Gostou, recomenda? Não deixa de comentar!!! Quero muito saber o que acham sobre esses livros!

23/09/2013

Resenha - Reiniciados - Teri Terry

2 comentários
Kyla acaba de ser reiniciada. 

O que isso significa? Ela era uma criminosa, alguém perigosa e agora sua mente foi reprogramada. Seu passado apagado e uma nova oportunidade foi dada à ela.

A sinopse é bem simples e de cara me conquistou. Memória apagada pelo governo? Que ideia brilhante e fácil de se jogar. Na estória, Teri Terry escolheu dar início à sua narração com Kyla prestes á sair do hospital onde seu reiniciamento foi feito. Nesse mundo futurístico e distópico, o governo pode reiniciar sua cabeça se você for um adolescente de até 16 anos e criminoso.... Até 16 anos? Essa parte me deixou intrigada, por que afinal adolescentes seriam tão perigosos assim ao ponto de terem suas mentes apagadas? E os adultos criminosos, o que acontecem com eles? Foi com esse monte de pergunta que me peguei lendo o livro.

Esse novo método de controlar os adolescentes da Inglaterra de 2050, vem acompanhado de um Nivo, uma máquina parecida com um relógio de pulso que mede as emoções dos Reiniciados. Quanto mais triste ou com raiva, mais baixos são seus níveis e o Reiniciado pode correr o risco até de morrer.

Os livros da série:
1. Reiniciados
2. Fractured
3. Shattered

Kyla vai para casa com sua nova família (pai, mãe e irmã também uma Reiniciada) e mal pode esperar reconstruir sua vida, mas ela sente que há algo de diferente entre ela e os outros Reiniciados e isso a deixa intrigada. E apesar do medo de saber das coisas, porque saber pode ser fatal, Kyla não pode evitar tudo o que acontece e o que pensa.

Os adolescentes são extremamente controlados nesse novo mundo. Nada de tecnologia, nada de andar livremente por aí e até na escola eles são observados de muito perto.

Esse é um tipo de estória que não precisa de romance, já existem várias possibilidades para se trabalhar em cima sem precisar desse tipo de enfoque para que se conecte com o público , mas mesmo assim a Teri Terry criou um interesse amoroso para a nossa mocinha e esse amor não poderia deixar de ser complicado, não é? 

E ainda que a autora tenha levado o livro para um caminho muito romântico, que acabei não curtindo, - apesar de gostar de verdade do Ben - vou continuar acompanhando a série porque acho que dá pra evoluir bastante nos próximos volumes.

Se você gostou de 'Destino' vai encontrar algumas semelhanças... 


13/09/2013

Julianne Moore se junta ao elenco de 'A Esperança'

1 comentários
Julianne Moore, acaba de ser anunciada como Alma Coin nos filmes 'Jogos Vorazes: A Esperança - Partes 1 e 2

O anúncio foi feito hoje (13/09) pelo twitter da Lionstage.

Eu particularmente adorei essa contratação!!! e vocês o que acharam?

Alerta de spoiller!

Alma Coin é a presidente do Distrito 13 e líder da rebelião contra a Capital no terceiro livro da série, que será dividido em dois filmes.


12/09/2013

J.K Rowling leva nova série aos cinemas

0 comentários
Sim, para vocês que estavam com saudades de ver o universo de Harry Potter nas telonas, uma novidade vai deixar seus olhos brilhando! J.K Rowling, a autora do sucesso, revelou nesta quinta-feira (12/09) que fará sua estreia como roteirista adaptando seu próprio livro. O longa-metragem “Animais fantásticos e onde habitam” será uma história original e será o primeiro de uma nova série de filmes da Warner Bros.



'Animais fantásticos e onde habitam' conta a história de Newt Scamander, o autor do livro sobre animais fantásticos, usado como material didático na escola de bruxaria Hogwarts. De acordo com Rowling, o primeiro filme se passa em Nova York, 70 anos antes de “Harry Potter e a Pedra Filosofal”, primeiro livro da série Harry Potter. A autora explica que “Animais fantásticos e onde habitam” não será um prólogo ou uma continuação da história de Harry, apesar de ser ambientado no mundo dos bruxos já familiar para quem acompanhou a saga do bruxinho.

O filme ainda está sendo escrito, portanto não há previsão de lançamento.

Fonte

09/09/2013

Novidades no elenco de 'Se eu Ficar'

0 comentários
No começo do ano, noticiamos que a Chloe Moretz poderia dar vida à personagem principal da adaptação do livro 'Se eu ficar', de Gayle Forman, além da informação estar confirmado, mais um nome do elenco principal foi divugado. 

De acordo com o Deadline, Jamie Blackley de 22 anos assinou o contrato para viver o Adam nas telonas. Pra quem não conheço o ator, ele pode ser visto em filmes como 'Branca de Neve e o Caçador' e 'O Quinto Poder'.

'Se eu ficar' conta a história de Mia, uma violoncelista de de 17 anos. Com pais amorosos, uma melhor amiga e um namorado apaixonado, numa manhã de fevereiro, Mia sai para um passeio com a família e, em um instante, tudo muda. A última coisa que lembra é estar no carro com seus pais e seu irmão mais novo, Teddy, em uma estrada repleta de neve. De repente, está em pé fora do seu corpo, ao lado dos cadáveres de seu pai e sua mãe, observando ela e o irmão serem atendidos pelos paramédicos.

O longa ainda tem data prevista para chegar aos cinemas e a direção fica por conta do R.J. Cutler, conhecido diretor de séries.

Matthew Quick na Bienal do Rio 2013

0 comentários
Sábado de manhã e os pavilhões da Bienal já estavam lotaaaaados! Muita fila, correria e confusão, tudo isso por causa de um senhor chamado Nicholas Sparks, mas nem a presença de um dos maiores popstars do mundo literário foi capaz de ofuscar a participação de Matthew Quick, autor do bestseller 'O Lado Bom da Vida'.

Às senhas para pegar autógrafos com o Matthew se esgotaram rápido, e eu infelizmente não consegui garantir a minha. Mas, não me abalei, ainda tinha a chance de vê-lo no Café Literário e consegui ser uma das primeiras à pegar a senha para participar do bate papo, que ainda contou com a presença dos autores nacionais Socorro Aciolli e Flávio Carneiro.



O papo foi muito legal e os três juntos comentaram sobre o processo de criação dos livros e dos personagens. Socorro Acciolli foi uma GRATA surpresa, inteligente, articulada e não poupou elogios aos blogueiros "Essa garotada lê uma quantidade absurda de livros por mês!" disse ela. Também fiquei bastante curiosa com os livros do Flávio Carneiro.  Mathew falou bastante sobre Pat Peoples, o personagem principal de 'O Lado Bom da Vida' e sobre as semelhanças entre autor e personagem. Segundo ele esse livro "o salvou", pois assim como Pat, ele passou por momentos difíceis por causa da depressão e que jamais imaginou que seu livro se tornasse um sucesso e principalmente se tornaria um filme que daria um Oscar para alguém.


Foto: Rafael Moraes
Os fãs tiveram oportunidade de fazer perguntas aos autores e transcrevi 3 das perguntas feitas para o Matthew!

Como você estabelece sua relação com o leitor?

É sempre uma honra falar com os leitores. Escrever é um processo muito solitário. É como um terapia, mas não se sabe como as pessoas reagirão ao livro. Quando terminei 'O Lado Bom da Vida' fiquei com medo de publicar porque sentia que estava muito sozinho e que as pessoas não entenderiam. mas as pessoas entenderam e é muito bom saber que existem pessoas que pensam como eu. É difícil, mas tento interagir ao máximo com os leitores. Apesar de me sentir muito exposto.

Que conselho você daria para pessoas como o Pat?

A maior coisa sobre Pat é que ele quer muito se recolocar. Quando olhei para mim mesmo e meu problema de forma mais aberta, minha cabeça mudou. então, meu conselho é: conversar. Quando consegui conversar com minha esposa e amigos ficou mais fácil de lidar com tudo, porque estava sendo mais honesto comigo também.

Como foi criar a Tiffany?

Muito divertido! Quando disse que queria publicar um livro, meu pai não me incentivou em nada, pelo contrário, disse que nunca daria certo. Mas depois de ler comentou uma única coisa, que Tiffany era uma solução sexy para os problemas de Pat. E eu levei aquilo como um elogio, entendi que ela faz Pat olhar para seus próprios problemas de forma mais honesta. Assim como minha esposa fez comigo, ainda que ela não seja nada como a Tiffany.

Sobre seu novo livro, "Perdão, Leonard Peacock"

O escrevi no verão de 2011, e foi difícil. O Leonard é um cara divertido, mas que tem uma raiva muito grande. E com alguma razão. E agora,  a mesma produtora de 'O Lado Bom da Vida' quer fazer o filme.





06/09/2013

Resenha - Sussurro - Becca Fitzpatrick

4 comentários
Nora Grey é uma menina bem responsável, beirando até a obsessão pelo controle. Tem boas notas, só chega em casa no horário certo, mesmo com sua mãe viajando sempre, e escreve resenhas e críticas para o "blog" do colégio. Um dia, na aula de biologia, o professor resolve mudar as duplas de parceiros. e se a expectativa de ficar longe da amiga Vee Sky já a deixava nervosa, imaginem como ela fica quando seu novo parceiro é Patch Cipriano, um garoto caladão, com uma vibe de badboy e muito misterioso. E de repente, ele parece estar em todos os lugares e saber de tudo sobre ela, assustador não? Mas a pior parte é que Nora se sente atraída pelo perigo que exala de Patch. Logo ela, que jamais sentiu-se atraída por algum garoto do colégio durante sua vida. 

Vocês provavelmente já ouviram falar desse livro, isso se já não leram a saga inteira antes de mim. Quando foi lançado aqui no Brasil causou certo alvoroço e não é nada difícil encontrar fãs suuuper apaixonadas não só pela saga como também pelo anjo caído Patch. 

Os livros da série:
1. Sussurro
2. Crescendo
3. Silêncio
4. Finale


À princípio me afastei dessa série de propósito. Estava cansada dos irmãos quase gêmeos de Crepúsculo e das modas que surgiam, e esse foi um dos pioneiros da "era anjo". Então, não fiz questão alguma de ler. Mas, vamos enfim a resenha.

O livro é bom. Sim, realmente bom. Mas, não encontrei motivos para tanto frenesi. Talvez esteja ficando velha para esse tipo de livro (ou só meio cansada mesmo). Explico, o livro é aquele clichêzão dos YA. Menina aparentemente sem graça, conhece um garoto misterioso e absolutamente lindo e charmoso, sabe que ele tem segredos, mas os dois se apaixonam quase imediatamente. 

Um ponto super positivo é que Patch não é um mocinho perfeito. Ele tem um passado obscuro, não é nada inofensivo e você provavelmente não o apresentaria para sua mãe. Ou seja, abriu um novo leque de tipo de personagem para o YA, quando já estávamos de saco cheio dos mocinhos altruístas.

Mas, a história não gira só em torno do romance, pelo contrário, até achei que a história de Nora e Patch poderia ser um pouco mais desenvolvida. Há um mistério colocando a vida de Nora em perigo e acompanhamos os momentos tensos que ela passa. 

Devo confessar que o desfecho do mistério não me surpreendeu muito apesar de ter achado muito bom. O livro é a estreia da autora e percebemos que ela tem talento. A história é bem costuradinha, os pontos que ficam soltos são deixados assim de propósito para os próximos livros, todos os personagens tem sua função e seu espaço apropriado na história e não temos a sensação de estar lendo somente a introdução para a trama que virá a se desenrolar no segundo, terceiro...

Como sempre, a protagonista me chateou um pouquinho, mas nada que não dê para relevar... Ganhou 4 estrelinhas no meu goodreads.

02/09/2013

Charlie Hunnam será Christian Grey em '50 Tons de Cinza'

0 comentários
Parece que os rumores eram mesmo verdade! Charlie Hunnam será Christian Grey na adaptação de '50 Tons de Cinza' , e agora foi mesmo confirmado! 

Charlie tem 33 anos e é da Inglaterra. O ator tem muitos papéis em seu currículo, e está no filme 'Círculo de Fogo'.

Na semana passada quando o nome dele foi vinculado ao personagem, o fandom não foi muito favorável. Será que Charlie vai conseguir conquistar as milhares de fãs do Senhor Grey? É esperar para ver.

O filme chega aos cinemas em 2014 pelas mãos da diretora Sam Taylor-Johnson.


Anastasia Steele escolhida? Sim, com certeza!

0 comentários
Parece ter chegado ao fim o mistério envolvendo pelo menos um dos nomes do elenco principal de 50 tons de Cinza, best-seller mundial de E.L. James. A própria escritora, divulgou em seu twitter que a atriz responsável em dar vida à Anastasia Steele nas telonas, será a Dakota Johnson.

Dakota tem 23 anos, nasceu no Texas e é filha dos também atore Don Johnson e Melanie Griffith. Já participou de vários filmes, dentre eles: 'A Rede Social' e 'A Fera'. Mas, seu papel de maior destaque foi na série 'Ben and Kate', onde fazia a protagonista.

Os rumores sobre  ator que interpretará o empresário bilionário Christian Grey continuam, vamos esperar para ver se E.L. James solta mais alguma coisa pelo twitter!



Tenho o prazer de informar que a linda Dakota Johnson concordou em ser nossa Anastasia na adaptação cinematográfica de Cinquenta Tons de Cinza.

26/08/2013

Resenha - Como (quase) Namorei Robert Pattinson - Carol Sabar

0 comentários
Que demora a minha pra vir aqui falar sobre esse livro, hein! Alguém deveria puxar minha orelha! Já é a segunda vez que leio e finalmente estou resenhando, na primeira vez estava tirando umas férias do blog. Mas, vamos ao que interessa.

Conheci o livro na bienal de 2011 e tive o prazer de conhecer o livro pelas mãos da própria Carol Sabar, que por sinal é muito simpática. A história é sobre Duda, uma universitária muuuito fã de Crepúsculo prestes à embarcar para um intercâmbio de seis meses em Nova York com sua irmã, prima e uma amiga!


Vou confessar logo que adorei o livro. Achei engraçado, espontâneo e bem escrito. Aliás, vale ressaltar que esse é o livro de estreia da Carol, mas não fica devendo em nada para muito veterana por aí. A história é bem amarradinha, os personagens bem desenvolvidos e as cenas bem escritas. Se passar em Nova York também foi um charme à mais.

E se você não gosta de Crepúsculo, do Robert ou qualquer coisa que envolva a Stephanie Meyer, pode vir sem medo também. Apesar da Duda ser super fã da saga, (livro favorito dela é Eclipse, igual a mim) esse não é o tema central do enredo. E na verdade, qualquer menina que já foi fã de alguém vai se reconhecer um pouco na atrapalhada e divertida Duda.

Quando chega em Nova York, adivinha com quem o vizinho dela é sósia? Sim do Robert. Miguel é tudo de bom... Mas, sinceramente sou muito mais o Pablo!

O livro, repleto de referências da cultura pop, empolga muito e surpreende no final. Duda é muito engraçada e dá pra dar umas boas risadas com ela. 

Mas, vocês sabem que nas minhas resenhas eu sempre tento ver alguma coisa negativa, mesmo nos livros que mais amo! Bom, nesse livro a primeira coisa é uma observação. Carol é mineira e não sei seu nível de intimidade com o estilo de vida dos cariocas, mas quem mora aqui sabe que para o pessoal de Ipanema fazer festas na Barra é bem improvável, quase impossível diria eu.

E o segundo aspecto negativo é referente á um personagem. Eis a descrição que encontramos no livro:

"Vindo direto da jamaica, negão esquisitão, estereotipo de quem usa dread, as caspas e o fedor com a blusa de reggae."

Não curti, achei tendencioso e desnecessário. As pessoas com dreads e etc não precisam desse tipo (como a própria Carol diz) de estereótipo para reforçar a imagem negativa que as pessoas tem deles.

24/08/2013

Eu vi - Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos

2 comentários
Um dos filmes mais esperados pelo fandom? Sem sombra de dúvidas. Por isso, antes de ir assistir, esperei um pouco pelas manifestações no twitter. E o que eu vi? Muita gente reclamando! E com alguma ponta de razão. Antes de começar a dar minha opiniao, gostaria de ressaltar que já li os dois primeiros livros da série e que apesar de gostar não sou uma das maiores fãs, portanto, acho que minha avaliação está um tanto quanto neutra. 
Assim como os livros, o filme Cidade dos Ossos é voltado ao público jovem e teria tudo para ser ovacionado pelos fãs, se no meio do caminho eles não tivessem escorregado feio.  Os erros mais chocante na minha opinião, refere-se aos atores. Desde a escalação à interpretação em si. Muitos fãs falam da aparência do personagem, que não combina com a descrição do livro. Não acho que esse seja um fator crucial, se o personagem estiver sendo bem representado, o que não acontece nesse caso.

Vamos começar por quem? 

Sim, a protagonista Clary! Lily é uma promessa de Hollywood e anda pegando vários papéis bons, e apesar da sua atuação não ser a das mais questionáveis do filme, não podemos negar que seu desempenho poderia ter sido melhor. Simplesmente não senti empatia o suficiente pela garota para que possamos ficar tristes ou felizes com ela. A coragem que tanto falam não é evidenciada na cara de bobinha que a atriz fazAs tentativas de piada são de envergonhar e feitas em momentos completamente inoportunos e desnecessários. Mas, Clary não é a única nessa situação. 
Jace Wayland, é um personagem bem confiante, um pouco sarcástico, mas completamente engraçado. Na versão feita pelo Jamie Campbell Bower não conseguimos encontrar suas características mais marcantes. O tom usado por Jamie deixou - e muito- a desejar. E as falas arrogantes (e sempre divertidas ) do Jace, não ficaram bem, parece que Jace é um garoto que gosta de ser mal com as pessoas e simples assim. O que foi a cena depois do beijo entre ele e Clary? Lamentável.
Valentim é outro exemplo de personalidade discrepante. Quem leu os livros conseguiu mesmo reconhecer o Valentim nervoso, histérico, canastrão e bagunçado daquele jeito? Por que eu não! Parece que os atores não capturaram verdadeiramente a essência de seus personagens. 

Por outro lado, vemos que os produtores realmente tentaram agradar o fandom, que parece cada vez mais querer um filme totalmente copiado do livro, sem entender que se trata de uma ADAPTAÇÃO! Tem coisa que funciona no livro, mas no filme não e vice-versa. A cena romântica entre Jace e Clary é sofrível, com direito á uma trilha sonora digna de filmes da Disney, o que distorce totalmente do clima sombrio passado na tela.
Mas, não sou tão negativa quanto os fãs mais fervorosos ao ponto de dizer que odiei. Está distante de ser tão ruim quanto se imagina. Há pontos que deixam curiosidade para os próximos filmes, como o relacionamento de Clary e Simon (muito mais química do que com Jace), a sexualidade de Alec e o bruxo Magnus Bane por si só, pois é pouquíssimo explorado nesse primeiro filme. Dá pra sair sem lamentar o dinheiro gasto, principalmente pra quem não leu os livros e não se incomoda de gastar um bom tempo numa história água com açúcar, que não se decidi ser fantasiosa e sombria ou divertida e romântica.

20/08/2013

#aquecimentobienal - Quem você quer ver lá?

0 comentários
A Bienal do Rio é um ótimo lugar para conhecer pessoas. Seja aquele autor famosíssimo que fará você enfrentar uma fila quilométrica pra pegar um autógrafo, um escritor iniciante com um ideia muito legal, um blogueiro que você acompanha, ou até mesmo fãs dos mesmos livros que você. ou seja, dá pra aumentar muuuito sua rede de contatos. Por isso, montei um guia básico pra ajudar vocês na hora de montar sua programação.


1 - Faça sua agenda

Esse ponto é um dos mais importantes pra quem pretender encontrar alguém específico na bienal. Se quem você quer ver for:

Escritor(a) - Tente se programar pra chegar cedo e não perder a distribuição de senhas para os eventos e sessões de autógrafos. Confira também se ele estará lá mais de um dia, dias de semana são os mais tranquilos pra quem quer bater um papo e tal. Para autores mais famosos tente descobrir se existe algum pré-requisito na hora do autógrafo, tem editora por exemplo que deixa autografar dois livros, mas um tem que ser obrigatoriamente o mais novo lançamento. Atenção!

Blogueiro(a) - Não tenha vergonha e pergunte pelo twitter, facebook e etc quando e onde eles estarão por lá. Muitos blogueiros são de fora do Rio e estarão aqui especialmente para a bienal, garanto que vão gostar de falar com vocês.

Fãs dos mesmos livros - Esse é fácil, viu. Além de procurar pelos eventos para fãs, dá pra conhecer fãs nas filas de distribuição de senhas, de autógrafos, nos bate papos com escritores e etc. Até olhando livro na prateleira dá pra fazer um amigo.

Novos autores - Escritores iniciantes, geralmente, tentam "vender" seu peixe perto das suas editoras. Dê uma chance à eles e escute sobre o livro! foi numa dessas que conheci a Carol Sabar, na bienal de 2011. 

A Maya Moura, fez uma planilha que vai facilitar e muito sua vida na hora de montar a programação, é uma mão na roda, principalmente para os marinheiro de primeira viagem! Para ver, clique aqui.

2 - Não seja tímido

Pode não parecer, mas essa dica é importantíssima. Imagina só, você doida pra conversar com aquele blogueiro que lê todos os posts, pra tietar os autores e a vergonha não deixa. Por isso, desencane, as pessoas que estão lá querem mais é conversar sobre livros mesmo!!!

3 - Tenha foco


Acontecem um zilhão de coisas ao mesmo tempo na bienal, é muito fácil sair da sua programação inicial, portanto estabeleça suas prioridades e cuidado com os stands, principalmente os de promoção!

4 - Leve água e alimentos

Comprar comida na bienal é uma dor de cabeça. Portanto, se você conseguiu pegar a senha para pegar autógrafo com seu escritor favorito, não vai querer perder tempo nas filas intermináveis da praça de alimentação, né? Então, uns sanduíches,  biscoitinhos e água ajudam bastante à tapear o estômago até seu horário ficar livre.

16/08/2013

Revelados os atores principais da adaptação de 'Fallen'

0 comentários
Hoje é dia de alegria para os fãs da série Fallen, da autora Lauren Kate

Foi divulgado hoje, no site da própria escritora, os nomes dos atores que darão vida à Luce e Daniel na adaptação cinematográfica do primeiro livro da série, aqui no Brasil publicada pela Galera Record.

Luce será encenada por Addison Timlin, atriz americana, de 22 anos sem nenhum grande papel em sua carreira.

Daniel será vivido por Jeremy Irvine, ator britânico conhecido por protagonizar Cavalo de Guerra, dirigido por Steven Spielberg.

Os demais componentes do elenco devem ser anunciados em breve. A direção do filme está por conta de Scott Hicks, e Gordon Gray, juntamente de Mark Ciardi, ficam responsáveis pela produção.

07/08/2013

Resenha - Belo Desastre - Jamie McGuire

12 comentários
Travis Maddox é um garoto popular, meio temperamental, respeitado e admirado por todos na Universidade Eastern. Conhecido também como "Cachorro Louco" por causa das lutas ilegais que acontecem nos porões da faculdade, seu caminho de repente cruza com o de Abby Abernathy, uma garota cujo único desejo é ser normal. Mas, Travis representa para ela uma série de coisas que ela deixou para trás e ficar com ele pode reabrir velhas feridas.

Belo Desastre está na minha lista de leitura há algum tempo. Se soubesse que amaria, não teria demorado tanto pra ler. Mas, o lado bom é que a continuação Desastre Iminente já tá chegando e não vou sofrer com abstinência de Travis. O livro contará a mesma história sob o ponto de vista dele.

O ponto forte desse livro é Travis, sem sombra de dúvidas. Ele é bonito, inteligente, sexy, rebelde, meio arrogante, mas também super fofo e carinhoso! No começo da história ele é "o" pegador da Universidade e que não ilude as garotas não, ele não procura um relacionamento, só sexo casual. Mas, quando conhece Abby, sente que alguma coisa ali é diferente, por isso, aceita ser somente seu amigo, já que a garota se recusa à dar o braço a torcer. Apesar de ter essa fachada de troglodita, Travis é sim sensível, carinhoso e até um pouco carente. O que faz com que nos apaixonemos por ele rápido, rápido.

O desastre que o título do livro se refere, é a relação dos dois. Quando Abby perde uma aposta e tem que morar durante um mês no apartamento de Travis é que vemos o quanto essa relação é intensa, estranha e pode até ser perigosa. Eles são extremamente atraídos fisicamente um pelo outro, dormem na mesma cama só como amigos e Abby ainda sai com outro cara, o Parker.

Não acho que o relacionamento dos dois seja tão doentio como vi algumas pessoas comentando. Acho que porque estamos presos á visão de Abby, acabamos embarcando nessa loucura. Percebemos que os dois são são loucos um pelo outro e não sabem lidar direito com o sentimento que existe entre eles. Vista de fora, no entanto, pode ser que se pense em uma relação perigosa sim. 

Os personagens secundários são bem aproveitados no livro. E a escrita da jamie flui que é uma beleza. Poderia escrever parágrafos e mais parágrafos sobre os motivos de etr gostado tanto do livro. Mas tem um aspecto que foi essencial, a química e a tensão entre o casal protagonista. Você quer torcer por eles, você ama e odeia os dois ao mesmo tempo e até agora não sei direito como isso é possível.

O que gostei do livro é que ele toca em diversos assuntos como cigarro, sexo, bebida, ciúmes, amizade e etc sem querer dar uma lição de moral no leitor. Apenas relata os fatos ocorridos dentro de uma Universidade. É muito bom sair do universo escolar! Ponto positivo para o livro.

Eu simplesmente não consegui largar esse livro! Não tem como terminar de ler sem estar apaixonada pelo Travis, suas tatuagens e a covinha na bochecha. Leiam! 

Parabéns á Jamie McGuire pelo ótimo livro! E parabéns à editora Verus pela ótima publicação! 

A ótima notícia é que o direitos dos livros já foram comprados pela Warner. 

05/08/2013

Primeiro capítulo de “Cidades de Papel”, novo livro de John Green

2 comentários
A Intrínseca disponibilizou o primeiro capítulo de Cidades de Papel, novo livro de John Green, autor do sucesso 'A Culpa é das Estrelas'. Sua terceira obra publicada pela editora tem previsão de lançamento para 19 de Agosto.

Em Cidades de papel, Quentin Jacobsen tem uma paixão platônica pela magnífica vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Até que em um cinco de maio que poderia ter sido outro dia qualquer, ela invade sua vida pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola e então descobre que o paradeiro da sempre enigmática Margo é agora um mistério. No entanto, ele logo encontra pistas e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele achava que conhecia.

02/08/2013

Resenha - Simplesmente Ana - Marina Carvalho

1 comentários
Ana Carina tem 20 anos é mineira de BH, estuda direito na PUC e... Descobre que seu pai é o Rei de um pequeno país na Europa chamado Krósvia. Um dia ao entrar na internet, se depara com a seguinte mensagem no facebook "Desculpe, mas acho que sou seu pai!"

A partir daí a vida da menina vira de cabeça para baixo. Além de ganhar um pai, fica sabendo que sua mãe mentiu durante os 20 anos e decide passar um tempo em Krósvia pra conhecer melhor seu pai Andrej (pronuncia-se Andrei).

No início parece que leremos uma versão brasileira de O Diário da Princesa, da Meg Cabot, mas o desenvolvimento nos prova o contrário.

Marina Carvalho, a autora, é brasileiríssima, e Ana, a personagem é completamente apaixonada pelo país. Por isso, mesmo quando está em Krósvia tenta manter alguns hábitos da nossa cultura. Ela ensina uma manicure à fazer unha à brasileira, prepara brigadeiro, feijoada e pão de queijo para seus novos amigos e ensina a todos o significado da palavra saudade.

Em Krósvia, Ana conhece o enteado de sue pai. Um rapaz de 25 anos que à princípio parece desconfiar dela, mas que com o tempo vai amolecendo e os dois se veem envoltos em sentimentos confusos. Alexander, ou Alex para os íntimos, é lindo, forte e bem charmoso. Em pouco tempo Ana está completamente apaixonada, mesmo que adore negar.

O livro é um chick-lit que não fica devendo em nada para as autoras internacionais. Achei o comecinho um pouco corrido, mas precisava de tempo pra criar o romance de Ana e Alex, né? E isso vem na medida certa. É narrado em primeira pessoa e a escrita da Marina é bem fluída. 

Senti falta de mais interação de Ana com o pai, Andrej, apesar dele ser um fofo e se esforçar para que o tempo perdido fosse compensado. Afinal de contas, ela foi pra Krósvia por ele. E pensei que veríamos mais sobre tradições das famílias reais, que Ana tivesse algum impacto e treinamento com o novo status, mas não, essa parte foi pouco desenvolvida. A única coisa que marca essa nova condição é a mídia atrás da garota.

Ana não é uma personagem perfeita, por isso, muitas vezes você vai estar super amando e outras super odiando. Lá no finalzinho, na briga com Alex, dá vontade de socar. Mas, isso é um ponto positivo. Odeio personagens perfeitinhas. Às vezes, ela é um pouquinho egoísta, fresca e até preconceituosa. 

Mas, nem tudo é perfeito e tiveram umas coisinhas que me incomodaram durante a leitura. A fixação nos biquínis e calcinhas fio dental foi uma delas. 

Os personagens secundários, a mãe e a avó de Ana, sua melhor amiga, seu quase namorado que fica no Brasil, sua nova família e o pessoal do castelo são super gente boa e completam o livro. E o mistério envolvendo o marido da tia, deixa uma ponta solta para uma possível continuação.

Todo conto de fada merece uma bruxa má e esse cargo caiu nas mãos de Laika, a namorada de Alex. E aí está outro ponto que me incomodou, a infantilidade de Ana em ficar chamando a namorada do outro de Nome de Cachorro em tooodas as falas. Mesmo que com esse comportamento deixe bastante claro que Ana está caidinha por Alex.

Outra coisa é que apesar de ser um livro escrito por uma mulher, sobre uma mulher e com a narrativa feminina, ele às vezes é um pouco machista. Por exemplo, no momento em que Ana  vai para a cama com Alex e o mundo acaba desabando aos seus pés, ela diz a frase "se tivesse sido uma boa menina." Mas isso não é uma crítica à autora em si, já que percebo esse tipo de fala e pensamento das personagens em quase todos os livros, é algo que está presente já na nossa cultura, mas que temos que fazer uma forcinha pra ultrapassar! 

30/07/2013

Cinco livros sobre... Viagem no tempo!

3 comentários




Viajar é legal, mas viajar no tempo deve ser incrível. Será mesmo? Bom, é uma questão a se pensar! Enquanto pensamos se é bom ou não poder voltar ou avançar no tempo-espaço, que tal conferir quais os livros que abordam esse tema?


        Perdida       
          Carina Rissi          

Sofia vive em uma metrópole, está habituada com a modernidade e as facilidades que isto lhe proporciona. Ela é independente e tem pavor a menção da palavra casamento. Os únicos romances em sua vida são os que os livros lhe proporcionam. Mas tudo isso muda depois que ela se vê em uma complicada condição. Após comprar um novo aparelho celular, algo misterioso acontece e Sofia descobre que está perdida no século XIX, sem ter ideia de como ou se voltará. Ela é acolhida pela família Clarke, enquanto tenta desesperadamente encontrar um meio de voltar para casa. Com a ajuda de prestativo Ian, Sofia embarca numa procura as cegas e acaba encontrando algumas pistas que talvez possam leva-la de volta para casa. O que ela não sabia era que seu coração tinha outros planos...

Por que indiquei? Carina Rissi é uma autora brasileira, que estreou com esse livro e não poderia ter estreado melhor! O livro é bem escrito, tem uma história legal, ótimos personagens e realmente me conquistou. Inclusive já foi resenhado aqui no blog, para ler a resenha clique aqui.




           Tempest         
Julie Cross


Em 2009, o jovem Jackson Meyer descobre que pode viajar no tempo. Durante os seus “saltos” para o passado, nada muda no presente. Isso era apenas uma diversão inofensiva, até que sua namorada Holly morre durante uma invasão à sua casa. Em pânico, ele consegue voltar dois anos, mas descobre que ficou preso no tempo. Desesperado para voltar e salvar Holly, Jackson resolve tocar sua vida em 2007 e tentar descobrir o que puder sobre suas habilidades. Não muito tempo depois, as pessoas que atiraram em Holly, membros de um grupo apelidado pela CIA de “Inimigos do Tempo”, vêm a sua procura para recrutá-lo ou matá-lo. Com tudo isso acontecendo e Jackson ainda tentando encontrar pistas sobre as origens de sua família para descobrir mais sobre suas habilidades, ele precisa decidir até onde está disposto a ir para salvar Holly e possivelmente,   o mundo inteiro.

Por que indiquei? Desde que li a sinopse e fiquei sabendo que será adaptado pro cinema, me interessei pela história. Ainda não tive a chance de ler, mas com certeza está na minha lista de leitura.



     A Mulher do Viajante no Tempo         
Audrey Niffenegger

Henry sofre de um distúrbio genético raro. De tempos em tempos, seu relógio biológico dá uma guinada para frente ou para trás, e ele se vê viajando no tempo, levado a momentos emocionalmente importantes de sua vida tanto no passado quanto no futuro. Causados por acontecimentos estressantes, os deslocamentos são imprevisíveis e Henry é incapaz de controlá-los. A cada viagem, ele tem uma idade diferente e precisa se readaptar mais uma vez à própria vida. E Clare, para quem o tempo passa normalmente, tem de aprender a conviver com a ausência de Henry e com o caráter inusitado de sua relação.

Por que indiquei? Provavelmente um dos mais populares da lista. Best-seller aclamadíssimo pela crítica. 




Em Algum Lugar do Passado 
Richard Matheson

Richard Collier é um jovem teatrólogo do século XX que se apaixona obsessivamente por uma fotografia de Elise McKenna, atriz de sucesso que viveu no século XIX, em Chicago. Richard fica tão encantado com a imagem de Elise que decide fazer uma pesquisa sobre a vida da artista, e descobre que eles têm muitas afinidades. Numa tentativa de se desligar do presente para viver essa paixão intensa, ele se submete a uma auto-hipnose que o transporta no tempo. Mas há um elemento-surpresa na regressão ao passado - Richard tem de enfrentar o empresário ciumento da atriz, William Fawcett.

Por que indiquei? Esse livro é um clássico quando se fala em viagem no tempo. Um dos poucos em que o filme conseguiu agradar os fãs do livro. Não li, mas os comentários que ouvi são de que é um livro lindo e emocionante.

        O Fim da Eternidade         
    Isaac Asimov       

O tempo não para. Você certamente conhece essa máxima. Mas há um outro ditado popular afirma que "toda regra tem uma exceção".
Os Eternos são a exceção à regra. Qualquer regra. Pois eles dominam a tecnologia de viagens no tempo. E por incontáveis eras dominaram indiretamente a Humanidade, interferindo em sua evolução sempre que julgavam necessário, usando todos os meios ao seu alcance. Mudando o curso da História. Tudo para o bem da raça humana.
Era o que o Técnico Andrew Harlan pensava sobre seu trabalho como Eterno. Mas, ao conhecer a bela e misteriosa Noÿs Lambent, cuja existência está ameaçada por uma mudança no fluxo do tempo, ele percebe o quanto essas interferências podem ser terríveis, e decide alterar a História em nome do amor. Que é infinito enquanto dura. Ou não.

Por que indiquei? Quer coisa mais romantica que um homem que coloca o amor de sua vida anets de qualquer coisa? Até da humanidade inteira? Quem gosta de romances épicos, deve ler com certeza!

E aí? Curtiram o Cinco livros sobre desse mês? Confiram os outro temas já mostrados, clicando aqui! Lembrando que dicas, sugestões de temas e críticas são super bem vindas, comenta aí! 

Seguidores

 

Loucas Por Livros Copyright 2009 All Rights Reserved Baby Blog Designed by Ipietoon | All Image Presented by Online Journal