22/02/2014

Eu vi - Questão de Tempo

1 comentários
Se você gosta de comédia romântica, mas está cansado(a) de clichês, Questão de Tempo é a pedida. Um filme divertido, inteligente, simples e bonito.
Tim (Domhnall Gleeson) é um sujeito que ao completar 21 anos recebe a notícia do pai (Bill Nighy) de que os homens de sua família conseguem voltar no tempo, mas somente para momentos em que eles próprios tenham vivido. E se falando assim você pensou que este é um filme sobre viagem no tempo, está enganado. Com uma vida modesta, porém feliz, o único objetivo de Tom com seu "poder" é bem simples: conquistar um grande amor. Após deixar o interior da Inglaterra e ir tentar a vida em Londres, seu caminho cruza com o de Mary (Rachel McAdams) uma americana linda e encantadora.
Dirigido por Richard Curtis, responsável Simplesmente Amor, e roteirista em sucessos como Um Lugar Chamado Nothing Hill, Quatro Casamentos e Um Funeral, o filme segue o mesmo padrão de seus antecessores, falar de amor de uma forma simples e muito sutil.
E não só o amor de Tim e Mary, o mais comovente nesse filme é a relação entre pai e filho. E sofremos com Tim quando ele se encontra numa encruzilhada, e tem que deixar seu pai para trás. E então percebemos a verdadeira intenção desse roteiro maravilhoso. Que apesar de uma pitada de fantasia, se assemelha tanto com nossas vidas. Grande parte disso se deve aos atores, Domhnall Gleeson é um cara comum, não é um galã, é até meio esquisito e em sua busca pelo amor é impossível não gerar empatia. Rachel McAdams também está ótima nesse filme, aliás ela já provou que sabe como nenhuma outra dar vida à essas personagens mais próximas do público. E Bill Nighy, rouba a cena toda vez que está presente. O cenário é lindo, tanto no interior quanto em Londres, as cenas são muito delicadas e ficamos apaixonados.
A viagem no tempo é apenas o gancho necessário para Tim perceber a importância de viver cada momento, de olhar cada dia com bom humor e que se esse dia for bem vivido não é necessária nenhuma viagem.

20/02/2014

Resenha - Nada é para Sempre - Ali Cronin

1 comentários
Nada é Para Sempre é o primeiro livro da série Garota < 3 Garoto publicada no Brasil pela Seguinte, selo da Companhia das letras.

A série Garota < 3 Garoto é inspirada na série de TV Skins e conta a história de um grupo de quatro amigas (Sarah, Donna, Ashley e Cass) de personalidades bem diferentes que moram em Brighton, na Inglaterra e estão no ensino médio. Cada livro é protagonizado por uma das meninas e, no primeiro, a protagonista é a Sarah, a mais certinha e até meio careta, que nunca namorou. Sua vida muda quando nas férias com sua família na Espanha conhece Joe, um universitário de Londres.

Se envolvia Skins, eu tinha que ler. Skins é a melhor série adolescente que existe e uma das minhas favoritas, pois, retrata os jovens da forma como são, sem querer amenizar as coisas, pelo contrário, às vezes são trágicos até demais. Mas, para mim a série é principalmente sobre escolhas e consequências e era isso que eu esperava do livro.

E foi o que eu tive.

Sarah é chata, não se enganem e nem tentem dizer que não. Até seus amigos sabem disso, mas é a personalidade dela e o que faz o livro ser o que ele é. Ela é a protagonista, se apaixona pela primeira vez e passamos por essa experiência com ela. O problema? É que talvez Sarah não perceba que seu amor de verão pode não ser o amor de sua vida. Então, seus pensamentos, sua vida, suas conversas e etc estão sempre girando em torno de Joe. E isso enche o saco! 

Porém, essa é mesma a inteção da autora, fazer a leitora (já que esse livro é destinado para garotas) perceberem como é importante se manter fiel à si mesma independente se você está em um relacionamento ou não. Primeiro amor é uma coisa complicada já que você não entende de nada sobre relacionamentos e é isso que o livro retrata. Não é porque está apaixonada que as outras pessoas tem que ficar de lado e não é porque seu namorado é incrível que você tem que falar dele o tempo todo. Afinal, relacionamentos acabam de uma hora para a outra e quem fica são os amigos e a família. E no final das contas, o cara pode nem estar tão interessado assim em você. É muito fácil se enganar quando o assunto é coração.

Os livros da série:
1. Nada é para Sempre (Sarah)
2. Dizem por Aí (Ashley)
3. Três é Demais (Cass)
4. Lições de Amor (Donna)
5. She's the One (não publicado no Brasil)
6. You and Me Always (não publicado no Brasil)

Perceberam que gostei bastante do livro, né?

Isso também se deve ao fato da Ali Cronin ir além dos romances que vemos nos livros juvenis. ela não se importa em falar de assuntos mais delicados e dá uma visão mais realista do mundo dos jovens.

Com certeza vou ler os próximos. As histórias dos amigos e amigas de Sarah promete. Se você quer ter uma ideia de como é o livro e a narrativa da Ali, dá pra ler o conto 'Noite das garotas', pelo site da Seguinte, que se passa antes de 'Nada é Para Sempre'.

14/02/2014

Primeiro still de '50 Tons de Cinza'

3 comentários
Falta exatamente um ano para '50 Tons de Cinza' chegar aos cinemas norte-americanos, lembrando disso, os produtores resolveram liberar um presentinho para que a espera seja um pouquinho mais fácil para os fãs da série.

Na foto, Anastasia Steele (Dakota Johnson) está parada de frente para Christian Grey (Jamie Dornan) com um olhar um pouco chocado. Qual será essa cena? Hein?

13/02/2014

Resenha - Divergente - Veronica Roth

3 comentários
Divergente é o primeiro livro da trilogia que leva o mesmo nome, escrito por Veronica Roth e publicado no Brasil pela Editora Rocco.

Apesar de ser uma grande fã de distopias, demorei um pouquinho pra ler Divergente, por que estava evitando um pouco os livros super badalados, as expectativas podem nos frustrar. Mas, felizmente, não fiquei nem um pouco decepcionada.

Beatrice é uma garota que acaba de completar dezesseis anos, criada na facção da Abnegação, chega o momento da escolha mais difícil de sua vida, optar por uma das facções para fazer parte. Na Chicago do futuro, a sociedade é dividida em cinco facções e depois de um teste que ajuda aos jovens à saberem sua maior aptidão, eles são livres para escolher pertencer à qualquer delas, Abnegação, Audácia, Franqueza, Erudição ou Amizade. Mas, as coisas não são assim tão simples, antes de se tornarem membros, eles passam por uma iniciação e se as coisas não ocorrerem da forma planejada, se tornam sem-facção, a pior coisa imaginável.

Com muita ação, trama e mistério é impossível largar a história até que o livro tenha terminado. Terminei em dois dias!

Muita gente o compara à diversas outras distopias e sinceramente não notei uma grande semelhança com nenhuma outra que tenha lido. Quer dizer, o governo é totalitário, a sociedade super controlada, mas esses aspects fazem parte do que se chama distopia.

Os livros da série:
1. Divergente
2. Insurgente
3. Convergente


Uma coisa muito positiva nesse livro é que a personagem principal, Beatrice (ou Tris), não me deu raiva em nenhum momento. Todas as suas escolhas são coerentes com sua personalidade, suas ações refletem que a autora nos apresenta que ela seja e sua narração é bem fluída. Também gostei de ninguém ser mal ou bom o tempo inteiro. Afinal, ninguém é assim. E mesmo agindo com crueldade e maldade, os personagens tem suas justificativas. 

Seu relacionamento com 'Quatro' também é muito interessante de se observar e é totalmente do jeito que eu gosto que as coisas corram. Devagar, dando tempo ao tempo e naturalmente. Aliás, ele já é um dos meus mocinhos favoritos. Nada de superproteger sua amada, ele que mesmo é que ela seja forte pra lutar por si mesma. 

Falando nisso, achei totalmente justificável a escolha de um ator mais velho para dar vida ao 'Quatro' nos cinemas, mesmo no livro sua idade podia ser mais avançada. 

E o que é o final desse livro? Totalmente inesperado! Veronica Roth está suuper de parabéns pelo livro de estreia e já entrou no hall de autoras malvadas com o leitor.

12/02/2014

Novidades para os fãs de 'Divergente'

1 comentários
Os protagonistas de Divergente, Shailenne Woodley e Theo James (Tris e Four), filme inspirado na obra de Veronica Roth, são destaque na Revista Instyle de março. 

Além das fotos, trazemos várias notícias da série para você:

- A sequência está confirmada, as filmagens de Insurgente serão iniciadas em maio, dois meses depois de Divergente chegar aos cinemas americanos, (21 de março).

 Akiva Goldsman foi escolhido para trabalhar no script de Insurgente. Pra quem não conhece o roteirista, vale ressaltar que ele trabalhou no roteiro de grandes sucessos como 'Uma Mente Brilhante', 'Código da Vinci' e 'Eu sou a Lenda'.

- A direção de Insurgente ficou nas mãos de Robert Schwentke. que dirigiu os sucessos 'Plano de Voo', 'Te Amarei Para Sempre' e 'Red - Aposentados e Perigosos'

- Convergente, último volume da trilogia acaba de ser publicado pela Rocco e já está em pré-venda nas maiories livrarias online.

- A franquia Divergente – lançada pela Summit – é vista como a chave da estratégia da Lionsgate para liderar o gênero jovem adulto, seguindo o sucesso dos cinco filmes da Summit, Crepúsculo e os dois primeiros de Jogos Vorazes.

Divergente chega ás telonas em março e em breve vocês poderão conferir minha resenha aqui no blog sobre o primeiro livro da trilogia. Você pode clicar aqui para ver mais fotos da revista.

11/02/2014

Eu vi - Frozen, Uma Aventura Congelante

3 comentários
Podem falar o que quiser, mas eu AMO um bom filme da Disney. Ainda mais quando a Pixar está envolvida.


Inspirado no conto de fadas "A Rainha da Neve", do dinamarquês Hans Christian Andersen (1805–1875), criador de "A Pequena Sereia". Em "Frozen, Uma Aventura Congelante" conhecemos as pequenas irmãs Elsa e Anna, que vivem na pequena Arendell e se adoram. Mas por causa de um dom, que está mais para maldição, já que tudo o que ela toca vira gelo, Elsa passa à viver num cômodo isolado do castelo. Já crescidas e órfãs, Elsa se torna rainha mas um acidente envolvendo seus poderes fazem com que ela fuja e se isole do mundo, deixando o reino condenado ao frio eterno. Disposta a convencê-la a desistir da solidão, Anna parte numa jornada de descobertas para que as duas possam voltar a conviver juntas e ao lado de todos. 


A trama é simples, as cenas são lindas, e os personagens extremamente apaixonantes. Desde os humanos como as irmãs protagonistas, Elsa a mais velha e fechada, e Anna, a caçula sapeca. Até os fantasiosos como os trolls, o alce Sven e o boneco de neve Olaf (que sonha com o verão!), que não tem como não adorar.



O filme é repleto de músicas, o que não me incomodou. Pelo contrário achei as canções bem bonitinhas, destaques para "Você quer brincar na neve?" e "Livre Estou" versão da música da Demi Lovato "Let It Go". 

Eu gosto de princesas... Sou fã da Branca de Neve, da Bela Adormecida e até curto a Cinderela, mas também sou capaz de admitir que talvez seus filmes não sejam lá grandes coisas quando pensamos no que eles estão dizendo para as meninas. Mas, Frozen é diferente, aposta num tipo diferente de amor, o fraternal. A mensagem que a Disney tenta passar nesse filme mostra uma tendência que acompanha "Enrolados" e "Valente", onde as mocinhas são mais independentes e corajosas, onde o perfil casamenteiro não faz mais parte da trama central, pelo contrário, eles brincam com isso. Enquanto Anna vai à luta, o príncipe fica em "casa" cuidando das coisas e a reviravolta final confirma que o filme é sobre amor, sacrifícios, mas passa bem longe do beijo do príncipe encantado.

07/02/2014

Jennifer Lawrence em 'A Esperança - Parte 1'

0 comentários
Jennifer Lawrence, foi flagrada nos sets de 'A Esperança - Parte 1' em Atlanta. Na imagem podemos ver sua mudança capilar e o figurino de Katniss Everdeen, temos uma ideia do que ela está gravando. Spoiller!
Macacão cinza indicam a Katniss refugiada no distrito 13, né?

Sinopse: Depois de sobreviver duas vezes à crueldade de uma arena projetada para destruí-la, Katniss acreditava que não precisaria mais de lutar. Mas as regras do jogo mudaram: com a chegada dos rebeldes do lendário Distrito 13, enfim é possível organizar uma resistência. Começou a revolução.
A coragem de Katniss nos jogos fez nascer a esperança em um país disposto a fazer de tudo para se livrar da opressão. E agora, contra a própria vontade, ela precisa assumir seu lugar como símbolo da causa rebelde. Ela precisa virar o Tordo. O sucesso da revolução dependerá de Katniss aceitar ou não essa responsabilidade. Será que vale a pena colocar sua família em risco novamente? Será que as vidas de Peeta e Gale serão os tributos exigidos nessa nova guerra?

O filme tem previsão de chegar aos cinemas brasileiros no dia 14 de novembro de 2014.

06/02/2014

Dakota Johnson estrela de '50 tons de Cinza' na Elle

1 comentários
Dakota Johnson – aka Anastasia Steele – é a capa de março da edição americana da revista  ELLE.

Sobre o que lhe interessou mais ao ler Cinquenta Tons de Cinza: "Lendo o livro, fiquei mais interessada nos caminhos emocionais que eles estavam rompendo um do outro do que as cenas de sexo. Eu acho que há uma parte de uma mulher que quer ser a única coisa que quebra um homem. "

Dakota Johnson em ter as curvas e honestidade sexual necessários para o papel de Anastasia Steele em Cinquenta Tons de Cinza: "Eu não tenho nenhum problema em fazer qualquer coisa. O segredo é que eu não tenho nenhuma vergonha. 

Dakota Johnson sobre o que é realmente crescer tendo pais famosos: "Eu acho que as pessoas, especialmente a imprensa, gostam de aporrinhar os filhos de pessoas famosas e eu acho que é terrível. As coisas deveriam melhorar. É tão, tão triste. E não há absolutamente nada que você possa fazer sobre isso como 16 anos. Você fica tipo .... Por que? O que eu fiz? "

Resenha - Tempest - Julie Cross

1 comentários


Tempest é o primeiro livro da série homônima da Julie Cross e foi lançado no Brasil pela Editora Jangada

Estava querendo ler há tempos e se soubesse que gostaria tanto, teria lido bem antes. Viagem no tempo é o que há de mais legal no universo literário. Sabem o motivo? O leque de possibilidades é gigantesca. Os livros sobre viagem no tempo sempre são bem diferentes uns dos outros e em Tempest, no universo criado pela Julie Cross, tudo é completamente diferente do que já tinha lido com esse tema.

Jackson tem 19 anos e é capaz de saltar no tempo. Sim, saltar. Esse é o termo usado no livro, não ouvimos 'viagem no tempo'. Já faz algum tempo que ele salta, mas não sabe muita coisa sobre sua habilidade. Apenas que diferente como são mostrados nos filmes e livros, ele não é de capaz interferir no destino das coisas, independentemente do que ele faça, quando retorna, tudo está como deixou e nada do que ele faça no passado altera o presente. Jackson também não pode ir para o futuro. 


Os livros da série:

1. Tempest
2. Vortex
3. Timestorm

Mas, como já tinha dito, Jackson não conhece muito sobre sua habilidade e um dia tudo muda. Um dia, do nada, uns caras invadem o dormitório da namorada dele, Holly e atiram nela, o susto faz Jackson saltar no tempo. Não qualquer salto, como os que ele está acostumado. Ele vai para 2007, a maior distância até então e.. Não consegue voltar. Resta para ele tentar se adaptar à sua nova rotina.

O livro é bem divertido e lemos rapidinho, sem ver o tempo passar. Jackson é um garoto esperto, mas parece mesmo ter a idade que tem, nada de personagem super maduro, inteligente e etc. E esse aspecto foi o que achei mais legal. Ele erra, acerta, mete os pés pelas mãos, se desculpa, fica confuso e é super verossímil. Seu relacionamento com Holly é completamente real. Os dois se gostam? Sim, estão cheios de dúvidas. Afinal, os dois são adolescentes e ninguém pode ter tanta certeza de tudo nessa época da vida. A cada página que viramos descobrimos com ele mais sobre seus sentimentos. Talvez você que goste de romances arrebatadores e juras de amor eterno não curta muito essa parte, mas para mim tá na medida e as reviravoltas sobre o salto no tempo vão compensar.

O enredo vai crescendo e te tirando o fôlego, nada no mundo de Jackson parece ser o que realmente é e em certos momentos ficamos bem aflitos. Fiquei super ansiosa pela continuação 'Vortex' e recomendo o livros para todos.

Os direitos pra adaptação cinematográficas já foram adquiridos e espero que não demore muito para vermos a saga no cinema, sem sombra de dúvidas dá um filmes bem legal. 

04/02/2014

Eu vi: O Lobo de Wall Street

1 comentários
Sim, eles fizeram de novo. Martin Scorsese e Leonardo DiCaprio de juntaram para mais um filme de "explodir mentes". Mesmo com nome já consagrado no cinema mundial, Scorsese ainda tem coragem de ousar. Depois de 'A Invenção de Hugo Cabret', longa voltado para toda a família, surge 'O Lobo de Wall Street', que te deixaria sem graça ao assistir com seus pais.

A história gira em torno de Jordan Belfort (Leonardo DiCaprio), jovem ambicioso que sonha com a riqueza fácil conquistada na Bolsa de Valores de Wall Street. Mas, as coisas não dão muito certo para ele e logo no dia em que estreia como corretor acontece a Black Monday, queda brusca das ações que balançou Wall Street. Sem emprego, ele descobre que pode faturar bastante na venda de ações que estão fora do pregão; São empresas pé de chinelo, algumas sem chance alguma de fazer sucesso, vendidas por valores mínimos. Mas que pagam a que vendê-las uma gorda comissão. Bom de conversa, não demora muito para Jordan se dar bem na nova profissão. Ou melhor, não demora muito para que descubra um meio de ganhar ainda mais, fundando com velhos conhecidos uma empresa que lhes deixariam milionários: a Stratton Oakmont.


Segundo filme concorrente ao Oscar 2014 que vejo e eu AMEI! O filme é grande, mas garanto, são três horas sem arrependimentos onde Scorsese nos leva à vida desregrada e depravada desses novos ricos. Consumo de drogas, nudez frontal, sexo, sadomasoquismo e até uma orgia gay.  Tudo isso mostrado sem julgamento ou falso moralismo, apenas a retratação do que é o ambiente onde Jordan e seus amigos vivem, onde própria empresa deles serve de sede de toda essa loucura. Apenas mostrando o que o dinheiro e o poder pode trazer para a vida das pessoas. 

É claro que para um filme tão bom, são necessários atores à altura e nesse momento não consigo imaginar um elenco melhor que o visto em tela. Leonardo DiCaprio está na sua melhor forma. Se você já viu seus recentes filmes e já achou ótimo, vai ver que nesse ele está espetacular! E o resto do elenco não fica atrás.


Falando assim o filme pode paracer um daqueles clássicos intermináveis que dá vontade de dormir? Garanto que não. Cheio de cenas impagáveis e de rolar de rir, é impossível não ficar curiosa onde toda a loucura de Jordan e seus amigos vai o levar. E quando eu digo louco, é louco mesmo. Algumas cenas beiram o absurdo! Vejam, vejam, vejam! É o que posso dizer. Cômico e sério ao mesmo tempo, mostra o excesso mas não o idolatra, pois ele sabe deixar claro o quão vazio aquilo é, o filme é genial.

Porém, aviso aos puritanos! O filme pode te chocar um pouco, afinal ele escancara mesmo, nada de cortar palavrões, meias palavras para falar sobre qualquer assunto ou cenas que apenas remetem à sexo e etc. Em algumas salas de cinema, despreparados sairam logo no começo da história. Ou seja, recomendado para maiores de 18 anos.

Seguidores

 

Loucas Por Livros Copyright 2009 All Rights Reserved Baby Blog Designed by Ipietoon | All Image Presented by Online Journal